Soja: impulso para os preços deve vir da redução da oferta nos EUA

No que tange à soja, o Rabobank estimou a área semeada em 2019/20 no Brasil em 36,5 milhões de hectares, área 1,7% maior, portanto, do que os 35,9 milhões de hectares plantados em 2018/19. Para a produção, a estimativa do banco é de 121 milhões de toneladas.

Apesar da safra “cheia” no país, Victor Ikeda, analista do Rabobank, disse que um impulso para os preços da soja deverá vir da redução da oferta nos Estados Unidos, que será enxugada para algo em torno de 95 milhões de toneladas, ante as 120 milhões de toneladas de 2018/2019. Com isso, os estoques americanos devem voltar ao patamar de 10 milhões de toneladas no ano que vem, que é o habitual, depois de terem ficado em 20 milhões no ciclo anterior.

“Nesse cenário, as cotações na bolsa de Chicago no próximo ano podem voltar a testar patamares próximos de US$ 9,70 por bushel”, disse Ikeda. A perspectiva considera que a guerra comercial entre EUA e China caminhe para a primeira fase de um acordo, com os dois países podendo negociar melhores taxas de importação num segundo momento. “Só se ocorrerem perdas nos Estados Unidos ou na América do Sul, o preço em Chicago poderá voltar a US$ 10 dólares por bushel”, ponderou Ikeda.

As informações são do Valor Econômico.

Fonte: MilkPoint

Faça um comentário

Você deve estar logado para comentar este post.